2.2.15

Capitulo 11


- Pai! Para de ser idiota, caramba! - David empurrava o pai até a janela de vidro do berçário para que ele pudesse ver com os próprios olhos que a filha dele estava bem e que ele não deveria se sentir culpado, mas Joe não colaborava e David fazia o máximo de esforço que podia. - Por favor pai! Faz isso pela Valentina... daqui a alguns meses, ou anos, você vai se arrepender de não ter a pego no colo quando ela era apenas uma bebezinha... ela não está morta, ela apenas esta respirando por um tubo, mas é normal, ela nasceu prematura... ela vai sair dessa pai... mas você precisa ser corajoso e arrancar metade desse orgulho que você tem e pelo menos ver a sua filha pela janela.

- Filho, você não entende... eu não consigo.

- Não consegue? Você que está tornando tudo isso mais difícil! Quando a mamãe se separar de você não venha atrás de mim pedindo para que eu ajude para vocês se resolverem. Você não a merece nesse momento! - David largou o pai com força e saiu voltando para onde ele estava, o berçário. Desde que Demi havia voltado para casa, a rotina de David era depois da escola e do treino de futebol, visitar a irmã no hospital. Ela já estava com quinze dias de nascida, ganhara algumas gramas, mas não o suficiente para sair do hospital.

Demi ficava em casa bastante nervosa e ansiosa porque queria ver a filha, mas ainda precisava ficar em repouso. Ela só ia umas duas vezes por semana para o hospital, mas todos os dias, uma enfermeira ia até a casa da família Jonas recolher leite que Demi retirava de seus seios carregados para que a pequena Valentina pudesse se alimentar corretamente.

- Filho! Dav, me espera... eu vou... eu vou com você. - Joe gritara para o filho que já estava quase sumindo do corredor. Ele dava passos bastante lentos enquanto andava até o filho que tinha um enorme sorriso satisfatório no rosto. - Mas, não prometo que eu conseguirei vê-la sem correr logo depois.

- Eu prometo que você não vai se arrepender... ela é linda pai. A nossa princesa. A vovó Denise está lá com ela. - Dav contava ao pai detalhes da irmã bem animado. Já era um passo enorme Joe querer ver a filha, mesmo que seja apenas pelo vidro do berçário. Ele ainda se sentia culpado, mas ele estava tentando apagar pelo bem de sua família, ele não queria destruir algo que o mantinha em pé.

Ao chegarem na janela do berçário David ficou sem saber o que fazer; ele não queria entrar na sala para avisar à avó que conseguira fazer a cabeça do pai e pedir para que ela mostrasse a irmã, tinha chances de assim que David entrasse no berçário Joe saísse correndo como um covarde do hospital; ele também não sabia como iria chamar a atenção da avó para que ela percebesse que eles estavam ali. Mas para a sorte de Dav, Denise estava com a neta nos braços a ninando enquanto algumas enfermeiras anotavam informações sobre a pequena Valentina.

- Ali pai! A vovó Denise esta com a minha irmã no colo! - Dav estava tão animado. Ele estava tão feliz em ser irmão mais velho que contava os dias para ele poder carregar a irma. - Ela é linda pai, eu ainda não tenho autorização para pegá-la, mas o senhor tem... se eu fosse você já tinha entrado nessa sala e só iria desgrudar dela quando fosse a hora dela sair daqui.

Joe mal estava prestando atenção no que o filho estava falando. Seu olhar estava fixo à sua mãe que segurava a sua menininha. Ela era tão pequena, tão frágil. E quando Denise os viu e viera com a menina nos braços até a janela para que Joe pudesse ver a filha, ele não aguentou e soluçava enquanto chorava. Ele não sabia dizer se era de felicidade ou de culpa.

- Minha frágil menininha. Desculpa o papai por ter feito isso com você... - Joe sussurrou depois de perceber o tubo que estava preso no pequeno nariz de sua princesa. Ela dormia serenamente no colo da avó e era a coisa mais fofa que ele já tinha visto.

- Viu pai? Não era tão difícil quanto você pensava que ia ser... - David abraçou o pai feliz por ele pelo menos ter visto Valentina.

- Eu quero ir pra casa Dav. Vamos pra casa, eu não aguento mais ficar aqui. Olha o que eu fiz com ela! Eu fiz aquilo com a minha filha! Eu fui egoísta, um inútil, eu não dei amor e atenção à sua mãe, não tanto quanto ela merece... - Joe saiu correndo do hospital sem dar um adeus à mãe nem ao filho, muito menos a Valentina.

Dav acenou para a avó avisando que iria cuidar do pai. Ele não sabia como iria ser para tirar essa culpa da cabeça de Joe, mas iria fazer de tudo para isso sumir. Ele não queria e não aguentava mais ver a mãe sofrer com isso, o seu pai sofrer, e toda a família sofrer com isso. Ele não aguentava mais.

[…]

- Sel? Porque esta tão tensa? - Demi estava sentada no sofá assistindo uma maratona de programas de culinária tentando esquecer a falta que ela sentia todos os dias de ainda não poder trazer a sua pequena Valentina para casa. E além disso, ela estava de repouso e precisava ficar o tempo todo sentada, ou deitada pois se andasse muito, os pontos da cirurgia doíam muito.

- Eu? Eu não estou, só queria saber como você estava.... - Demi conhecia Selena o suficiente para saber que a amiga estava escondendo algo. Selena mexia as mãos com nervoso. Se mexia no sofá como se estivesse desconfortável em estar com Demi e ainda mal olhava para ela.

- Sério Sel... amiga o que esta acontecendo. Me fala antes que eu tenho um treco. Odeio ficar curiosa e eu sei que você esta me escondendo algo. - Selena respirou fundo e pensou se deveria contar ou não.

- É que... eu não sei como te contar... isso. - Demi não entendia porque Selena estava a olhando com pena.

- Fala logo mulher! Pare de me enrolar. Deve ter acontecido algo muito grave para você estar tão nervosa assim.

- Ai Demi... é que... sabe, eu e o Nick... hum... eu estou broxando na cama. Não estou conseguindo mais ter um orgasmo. - Tudo bem, o que Selena havia falado, mesmo gaguejando, mas falado à Demi era verdade, estava acontecendo isso mesmo, mas não era o que ela queria contar e estava evitando.

- Meu Deus! E você estava com vergonha por causa disso? Pensei que você tinha pegado o irmão do Nick. - Demi estava relaxada agora. Ela se aproximara da amiga que até então estava sentada no sofá um pouco distante só para não ser obrigada a olhar para os olhos de Demetria e ser obrigada a contar toda a verdade.

- O Kevin? Pelo amor de Deus amiga! Sou casada, e bem casada, o Kevin pode ser gostoso, mas não iria trair o meu Nick... - Selena fez uma careta só de imaginar pegando o cunhado. Ela pouco vira Kevin, mas sabia que ele era bonito, mas não a chamava atenção.

- Ai Sel, é normal broxar... você esta acumulada de trabalho. Você cuida da casa, das crianças, trabalha, faz plantões no hospital e ainda tem que cuidar do marido. Tesão com estresse não combinam. Você precisa relaxar, tirar um dia só para você. - Demi passara de amiga curiosa para a amiga sexóloga. Amava quando viam lhe pedir dicas sobre relação sexual.

- Eu sei. Mas é que não gosto de largar tudo. Meus filhos dependem de mim para tudo. Eu que faço o café da manhã, os deixo no colégio, vou para o hospital, no horário do almoço busco eles na escola, os levo em casa, depois volto para o hospital e quando chego em casa estou um caco. - Selena suspirou cansada. A rotina dela era muito agitada. Ela amava cuidar dos filhos e da casa e claro, de trabalhar como pediatra, mas ela estava chegando ao limite de cansaço.

- Eu ainda não sei como você não teve um enfarte. Sel, o Nick serve para o quê? Só para transar? Por favor, bota teu homem na linha, coloca ele para fazer metade das tarefas que você faz. Ele também tem que buscar os filhos no colégio e aprender a cuidar da casa. Ele tem muito mais horas vagas que você. Ele trabalha para o Joe, qualquer momento que ele se sentir cansado ele pode ir para casa, já você só pode sair do hospital desmaiada. - Demi sabia do que estava falando. Há anos ela vinha falando que Selena ia chegar um dia e iria explodir. Ela queria fazer tudo ao mesmo tempo, ser uma esposa completa.

- Só que é tão difícil. Eu penso que se eu largar essas tarefas eu vou me sentir menos mãe, menos esposa.

- Você será menos mãe quando você ter um enfarte ou parar no hospício. E menos esposa você já esta sendo fingindo ter um orgasmo. Sel, você precisa de um spa. Precisa relaxar. - Demi deu um abraço na amiga para lhe passar conforto. Ela só queria o melhor para a amiga.

- Eu sei... mas como você consegue? Como você consegue ter um orgasmo toda noite se você só vive estressada? - Selena perguntou brincando, mas conhecia Demi e sabia que ela era estressada com Joe vinte e quatro horas por dia.

- Confesso que sou meio maniaca por sexo. Fazer amor me acalma. Acredite, nenhum spa me relaxa tanto quanto estar nos braços do meu homem. - Selena riu alto ao ouvir os comentários maliciosos de Demi. Ela adorava sexo e fazia questão de deixar isso bem claro. - Você não sabe o quanto eu estou me segurando... ficar de resguardo é a pior parte da gravidez. Mas para ter a minha pequena Valentina e o meu garotão eu ficaria mais de um ano sem fazer amor.

Valentina. Bastou Demi tocar no assunto da sobrinha que Selena havia lembrado o real motivo pela qual ela havia aparecido ali. Valentina havia tido uma complicação no meio da madrugada e Selena logo foi acionada. Ela era a pediatra da sobrinha e era a responsável caso houvesse algum problema com a menina. Selena não estava de plantão mas saíra de casa as pressas mesmo sem avisar ao marido.

A menina quase tivera uma convulsão e isso estava preocupando as enfermeiras. Foram muitos exames feitos naquela madrugada, muitas observações, mas a menina estava bem. Desde o parto complicado eles sabiam que a menina poderia ter esses problemas no começo mas que não teria depois de chegar ao seu peso ideal. Logo após a menina ficar bem, Selena ligara para Denise e a sogra não poupou tempo e fora logo ficar com a neta. Selena não podia avisar à Demi por motivos de que ela estava de resguardo e de repouso, não podia ter fortes emoções e com certeza Demi ficaria maluca se soubesse sobre a filha. Selena também não iria contar à Joe porque ele já estava se sentindo culpado pelas condições que a filha se encontrava e se soubesse disso ele iria se sentir mais culpado ainda. Selena estava dividida entre contar e não contar, mas não iria preocupar a amiga agora que a sobrinha estava boa, ela iria esperar que tudo estivesse bem.

[…]

Assim que Joe estacionara o carro na garagem da casa, David saiu do mesmo chateado com o pai. Ele queria conversar, queria que o pai contasse o que estava sentindo, o porque dele ter corrido do hospital sem falar nada. Mas Joe viera o caminho todo em silêncio e quando David tentava começar a conversa ele aumentava o volume do rádio ou fingia que não estava escutando. Aquilo irritara Dav profundamente.

- Eu espero que a mamãe lhe dê umas broncas daquelas que você tenha que dormir no sofá. Você está sendo um péssimo exemplo de pai. - Dav estava irritado e por mais que ele soubesse que aquelas palavras fossem doer em Joe, ele tinha que falar.

- Você não entende o que eu estou passando e muito menos o que está acontecendo. - Joe saiu do carro indo em direção a David que estava de braços cruzados sob o peito esperando o pai falar algo mais. - Com quem você acha que esta falando David? Sou seu pai. Primeiro de tudo eu exijo respeito.

- Eu estou cansado pai, eu vejo a minha mãe sofrendo todos os dias por sua culpa. Ela tenta de tudo para fazer com que você esqueça esse seu orgulho chato e aceite a sua filha.

- Eu aceitei a minha filha. Eu não estou a rejeitando, jamais faria isso. Ela é a minha princesinha.

- Pois parece que esta a rejeitando! Não a vira no hospital e quando vê sai correndo de lá como se tivesse visto um fantasma? Pai, quando você vai parar com isso? - David estava falando com o pai como se ele fosse o pai da discussão e Joseph o filho que fizera uma besteira. Realmente, Joe e Demi criaram o filho para que ele defendesse e lutasse pelo certo.

- O que você quer que eu faça David? - Joe estava visivelmente chateado e um pouco arrependido. Ele vira a mágoa nos olhos do filho enquanto ele falava da irmã. Ele queria reverter isso.

- Começar pedindo desculpas a mamãe pelo seu comportamento. Depois, eu quero que você veja a Valentina, a carregue, dê carinho, amor, seja um pai para ela assim como você foi comigo... porque se você não fizer isso, pelo menos pode ter certeza de uma coisa... Eu serei com maior orgulho um pai para a minha irmã. - David saiu da garagem indo em direção à frente da casa. Ele iria dar uma volta e tentar dar espaço para que os pais pudessem conversar e o pai pensar sobre o que ele estava fazendo com a família.

Joe respirou fundo várias vezes e entrou pelos fundos da casa e preferiu não passar pela sala onde ele percebera que Demi estava conversando com Selena. Ele não queria estragar o momento de felicidade dela. Desde que Joe começara com esse sentimento de culpa, ele mantinha afastado a esposa e os filhos, e consequentemente a felicidade dos mesmos. Ele não via Demi sorrir do mesmo jeito de antes, só quando ela começava a conversar sobre os filhos, com Selena e Miley ou quando ela estava no quarto quase pronto da filha.

Joe lembrou do quarto que estava sendo ainda montado aos poucos com a ajuda do irmão dele e do irmão de Demi, Nick e Logan. O quarto da pequena Valentina fora decorado agora com as cores lilás e um rosa bebê. A cômoda já estava montada e aos poucos, já que ainda estava de resguardo e precisava repousar, Demi ia guardando as fraldas e outras coisas da bebê. Como todos os quartos da casa eram suítes com closet, o closet do quarto da bebê fora cheio de pequenas roupinhas, a maioria comprada por Joe, que mesmo tendo atitudes erradas, não aguentava passar por lojas de bebê e não comprar mais de cinco peças de roupas para a filha. Demi reclamava várias vezes com ele pelo excesso de gasto, já que ele estava comprando roupas que provavelmente a filha só vestiria quando fizesse dois anos.

Joe olhara para o berço desmontado no canto do quarto. Ele iria passar o tempo pensando no que fazer enquanto terminava de preparar o quarto de Valentina sozinho. Demi iria ficar orgulhosa dele, ele ia poder ver um sorriso no rosto dela e que seria um sorriso que ele colocara.

O quarto era até grande para um quarto de bebê, mas logo “Val” iria crescer e terá que ter espaço para engatinhar e brincar. Faltava tanta coisa para fazer que Joe anotara em um caderno uma lista de tarefas. Ele tratara logo de trazer todas as ferramentas que iria usar logo para o quarto, mas em silêncio para que Demi não percebesse o que ele estava fazendo, ele queria lhe fazer uma surpresa, mostrar que ele se importava com a filha e a amava, e que estava feliz por ela estar viva, e iria mostrar que ele estava tentando esquecer a culpa que estava sentindo.

- Pronto... acho que é só isso. - Joe observava as ferramentas já postas em cima de um banquinho. - Preciso montar o berço, colocar as cortinas, montar o trocador, pintar alguns detalhes na parede, pendurar os quadros de fotos, arrumar as fraldas que faltam na cômoda, e passar todas as roupas que já estão lavadas, depois guardá-las, arrumar os sapatinhos e levar as algumas roupinhas para lavar.

A lista de afazeres era grande, mas Joe estava disposto a terminá-las o mais rápido possível. Ele trancara a porta do quarto como segurança para que Demi não tentasse bisbilhotar o que ele estava fazendo. Claro que, com o barulho das ferramentas ela saberia que ele estaria no quarto fazendo algo, mas era melhor continuar como surpresa.

[…]

- Oi... - David tomara um susto ao ouvir uma voz suave bem perto dele. - Posso sentar aqui?

- Claro Emy. - Emily sentara do lado dele, Dav estava sentado distraído na escada que dava acesso à porta de casa que nem percebera quando a menina de cabelos loiros e olhos claros, a que fazia seu coração se descontrolar e a mesma menina que negara sair com ele chegar. - O que está fazendo aqui no meu bairro?

- Eu queria te ver. - A menina falara muito baixo mas fora o suficiente para Dav ouvir e corar junto com a menina. - Você estava esperando alguém? - Ela tentou desconversar quando percebera que fora um erro dizer que queria ver David e ele não a respondera.

- Não. Eu só estava pensando na vida... e eu também queria te ver. - Dav sentou mais próximo de Emily que ainda não olhava para ele. - Só não tive coragem de te procurar. Desculpa, eu sou um idiota.

- Não. Você não é. Porque você iria atrás de uma menina que te dera um não e nem sequer explicara o motivo... - David sorriu enquanto olhava para a garota que estava timida e nervosa perto dele. - Eu que sou a idiota da história.

- Porque?

- Porque eu queria muito sair com você mas te afastei de mim. - Emily olhara para Dav e queria não ter olhado pois o menino a encarava com aqueles olhos esverdeados hipnotizantes.

- Porque você disse não Emy? Eu não sou tão bonito assim? - Dav brincou e comemorou por dentro ao ver que a menina sorrira. - Olha, a minha mãe diz que eu sou o garoto mais lindo do mundo. Será que ela está errada? - Demi fazia questão de dizer para o filho que ele era o menino mais lindo de todo o mundo, que ela tinha o filho mais lindo, mais inteligente, mais fofo, o melhor filho do mundo.

- Eu concordo com ela... - Outro sussurro quase inaudível. Eles dois estavam vermelhos de vergonha, David não via a hora de poder beijar a menina.

- Então, já que eu sou o garoto mais lindo do mundo de acordo com a minha mãe e com você... o que já é o suficiente para mim, e eu te acho a garota mais linda do mundo, eu acho que nós somos um par perfeito não? - Emily deu um sorriso tímido mas concordou com a cabeça. David sabia quando e como ser direto.

- Eu acho. - Emy concordara mais uma vez enquanto se aproximava de David e lhe roubava um selinho. Eles começaram o beijo apenas com selinhos demorados, mas logo Dav abriu mais a boca começando um beijo mais apaixonado e cheio de desejo e que foi bem retribuído pela garota.

----
 
Olá! Sejam bem vindos todas as leitoras que agora estão participando do blog ;)
Olha, eu nem sei como dizer isso, mas eu não estou gostando muito dos capítulos que eu estou escrevendo e é a razão pela qual eu estou demorando para postar. Não sei, acho que eu não sei escrever drama, prefiro algo mais romance e comédia mas é que eu queria me arriscar... bom, eu vou tentar voltar para o estilo antigo da fic se vocês quiserem e não estiverem gostando da fic... é isso, obrigada pelos comentários <3
 
IMPORTANTE: Outra razão pela qual eu demorei para postar foi que eu tive uma dor de cabeça muito forte um dia desses, tipo, doía minha cabeça toda e chegou um momento que eu não conseguia nem ficar sentada porque eu não tinha forças, meu corpo todo doía. eu fiquei o dia todo assim, e não é a primeira vez que eu tenha dor de cabeça forte assim, o que aconteceu foi que minha mãe não deixou eu ficar no not por pelo menos uns 3 dias. eu podia escrever pelo celular, mas é que eu já tinha escrito metade do capitulo e não tinha como continuar pelo celular sem lembrar muito bem o que eu tinha escrito. Eu espero que vcs entendam.
 
"If you should ever find someone new
I know she'd better be good to you
'Cause if she doesn't
Then I'll be there (I'll be there)
Don't you know baby
I'll be there
I'll be there"
 
 


14 comentários:

  1. Não fique com insegurança, os capítulos estão ótimos, perfeitos, não demore pra psotar por isso.Espero que sua dor de cabeça melhore, vá no médico!!
    Esperando pelo próximo capitulo *-* bjbjbj

    ResponderExcluir
  2. Mt bom eu tô gostando da fic
    Melhoras sobre a dor de cabeça
    posta logo

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Mari!! O cap está incrível!! Como sempre você arrasa! Eu adorei!! Eu amo essa fic!! Parabéns!
    Eu espero que você esteja melhor!! Escreva quando você estiver bem.. fazer as coisas com dor é muito ruim.. descanse e se continuar a ter essas dores acho que você deveria procurar um médico! Queremos você bem porque você é muito importante pra nós!
    Bom voltando ao cap... ainda bem que o Joe foi ver a Valentina.. apesar de não ser da forma como deveria ser, mas já foi um passo! A atitude dele em terminar de montar o quartinho dela eu achei bem fofa!!
    O Dav é um príncipe mesmo!! Que garoto incrível.. eu achei muito lindo o que ele disse de ser um pai para a irmã... fiquei emocionada..rs
    Bom é isso!! Estou muito curiosa pelo próximo!!Bju!!

    ResponderExcluir
  4. Ain, Mari.. que cap lindooo!
    E cuidado, moça, com essas dores de cabeça! Te cuida e melhoras!
    Esperando pelo próximo!
    Xoxo..

    ResponderExcluir
  5. ooooi
    demorei mas cheguei! Desculpanpela demora, eu só consegui ler agr sjdjmdk
    eu amei o capítulo Mari! To louca p "ver" o Joe com a Val, brincando com ela e tal...
    Dav eh um amor, ele eh cheio ee atitude e as vezes até esqueço a idade dele de tão maduro que ele eh! a Emy eh uma guriaa de sorte!
    coitada da Sel, ela ta quase desmaiando de cansaço! Nick tem q acordar p vida, q isso.
    ta perfeito, Mari!
    to ansiosa para o próximo!
    qualquer coisa eh só falar cmg, vc sabe ♡
    Bjs, até mais!

    ResponderExcluir
  6. aaaaaaaaaaaaaaaaaaa post mais please perfeito como sempre DIVA ☺♥

    ResponderExcluir
  7. Hey linda ❤️
    Capitulo divino, eita...joe vai tentar provar para a Demi que, ele ama a filha dele e que também se importa. ❤️❤️
    Não tenha dúvidas que sua fic é um arraso ❤️
    Super ansiosa para saber mais viu...
    E melhoras com a dor de cabeça ❤️
    Realmente dor de cabeça é péssimo !!!
    Posta quando puder :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Ualll tá incrível... Adoro como vc escreve

    ResponderExcluir
  9. Me desculpe, pensava que já tinha comentado há uns dias atrás...
    A história está incrível, Joe deu um passo muito importante ao tomar a decisão de acabar o quarto da bebé, mas ele não pode continuar culpando-se do que aconteceu, assim vai acabar afastando todos.
    Tenha cuidado com essas dores de cabeça, podem não ser nada, mas mais vale prevenir ;)

    ResponderExcluir
  10. Incrível!
    Boa iniciativa do Joe...
    Ansiosa pelo próximo!!!

    ResponderExcluir
  11. Obriada pelo convite!!!! Ame os capítulos............ Gostei da iniciativa do cabeça dura do JOE. Bj by @Hanna_Demetria

    ResponderExcluir
  12. Graças a Deus o Joe pegou a Valentina, ou melhor, foi vê-la. Tadinha, ela merece tanto o apoio do pai, tudo bem que ele foi um idiota, mas não tinha como adivinhar que a Demi sofreria o acidente e teria a bebê antes do tempo. Também no dia do acidente os dois estavam nervosos, o Joe por provavelmente perder os fornecedores e as paradas lá por a Demi sem querer ter arruinado o jantar, mas cara, aquele moleque também né? O pai dele deveria ter o reclamado, mas nada aconteceu, ninguém, nem mesmo o Joe reclamou, ai foi foda. Ainda bem que tudo está melhorando, agora é esperar a Valentina ir para casa. Beijos e posta quando der :)

    ResponderExcluir
  13. Amei a iniciativa do Joe.
    Eu to gostando mto da fic.
    Cuidado cm essas dores, pq ñ vai no médico?

    ResponderExcluir

Deixem um comentário e deixem uma "escritora" feliz :D