22.1.15

Capitulo 9


- Então quer dizer que a senhorita é sexóloga? - O mini-tarado olhou maliciosamente para Demetria pela quinquagésima vez na noite. Ele sempre procurava alguma brecha para poder abrir a boca para falar besteiras, tentando conseguir a atenção de Demi, o que na verdade ele só estava conseguindo raiva.

- Sou. E qual é o problema? Ah, antes de você começar as suas gracinhas, eu sou uma profissional, mereço respeito e não aceito piadinhas sobre a minha profissão. - Joe segurou a mão de Demi pedindo para que ela ficasse mais calma. Ela estava a alguns segundos de estrangular o filho do Sr. Walter.

- Não precisa ficar nervosa Sra. Jonas. Meu filho gosta de conhecer os seus futuros sócios e suas esposas. Sabe, ele precisa conhecer mesmo, logo eu estarei me aposentando e meu filho assumirá a empresa no meu lugar. - Demi deu um sorriso falso para o senhor de idade. Ela já estava farta e cansada de ouvir as besteiras que esses dois falavam.

- Então Joseph, a sua mulher é muito bonita... e mesmo grávida é um arraso! Quanto paga por ela? - Demi e Joe arregalaram os olhos depois de ouvir a pergunta ridícula vinda de Luis Walter. O filho do Sr. Walter.

- Deixa eu vê se entendi... você está achando que o meu marido me paga para estar com ele? Você está me chamando de prostituta? - Demi jogou o guardanapo que estava em seu colo com raiva em cima da mesa, e levantou sob os olhares curiosos de todos na mesa e até do restaurante.

- Desculpa se eu te insultei. Já entendi que você prefere conversar sobre isso no particular... - Ah, Demi estava fervendo de raiva. O homem era uma criança e continuava a querer insultá-la. E Demi estava mais furiosa ainda por Joe não estar a defendendo.

- Olha aqui seu empresário de merda, acho melhor você manter a sua boca fechada e pensar bem antes de insultar alguma outra mulher, ou melhor uma mulher grávida. Não sou prostituta, ou puta, sou sexóloga, uma profissional, eu estudei para exercer uma profissão que felizmente eu tenho conhecimento suficiente para lhe dizer que idiotas como você, são daquele tipo que não consegue uma transa com uma mulher, apenas com garotinhas que só estão interessadas em seu dinheiro e nem sequer ligam para o quão minusculo o seu “pau” é. Você deveria ter respeito em primeiro lugar e tratar as mulheres melhor, não como se nós fossemos algum objeto que você pode comprar com a sua porcaria de dinheiro. Você não é bonito, e mesmo se você fosse o cara mais rico do mundo eu nunca iria para a cama com você seu verme.

- A puta agora se estressou? Quanta classe a sua mulher tem Joseph! - Demi não esperou nem mais um segundo e jogou o suco de uva que estava em sua taça completamente em cima de Luis Walter. Ele se tremeu todo e deu uns gritinhos por causa do quão gelado o suco estava.

- Além de “pau” pequeno, é viado? Eu vou embora, com licença. - Demi pegou sua bolsa e nem deu ouvidos para Joe que a chamava sem entender o porque dela ter ficado tão alterada a ponto de xingar o filho do futuro sócio dele.

- Eu peço desculpas pelo comportamento da minha esposa. Ela esta grávida e os hormônios estão malucos. Licença. - Joe se levantou da mesa e pediu licença a todos antes de sair indo atrás de Demetria, que já havia saído do restaurante.

Joe correu pelo estacionamento do restaurante e logo avistou a esposa encostada na porta do carro dele. Ela estava chorando, mas ele tinha que falar com ela, não fora educado a forma que ela falara com o garoto. Tudo bem que ele merecia apanhar, mas Joe tinha que manter a pose de empresário e Demetria como sua esposa deveria manter a pose profissional e não falar palavras sujas e rebater o que o garoto tanto queria que ela fizesse.

- Entra no carro agora! - Joe desativou o alarme do carro e o destrancou. Demi ainda assustada abriu logo a porta do carro entrando rapidamente e batendo a porta com força. Joe foi até o outro lado, o lado do motorista e logo entrou no carro com muita raiva.

- Eu não estou acreditando que você não teve nem a coragem de me defender... eu sou sua esposa Joseph! Como você pôde ouvir aquele idiota falar essas coisas de mim e ficar calado? - Demi balançou a cabeça negativamente, não acreditando a falta de atitude da parte de Joe.

- E você acha que tudo aquilo que você falou foi certo? Porra Demetria! Estávamos em um jantar de negócios, você tinha que atrapalhar tudo só porque uma criança fez piadinhas sobre a sua profissão?

- Claro que sim! Você acha que isso não me machucou? Eu já estou cansada dessa porcaria de jantares de negócios, passei quase toda a nossa vida de casados te apoiando o máximo que a minha paciência durou para te fazer bem, te fazer feliz, mas o que eu recebo em troca? Nada! Porque o meu marido é um covarde! - Joe agarrou o volante com força, ele não estava gostando do rumo que aquela briga estava levando, mas ele não estava aceitando o contrato que ele com certeza acabara de perder. E não era o primeiro.

- Se você não quisesse ir para os jantares, você me falava. Agora não venha me dizer que eu sou covarde, sendo que você foi infantil e mal educada na maioria deles. Você acha que eu gosto da impressão que eles levam da minha família depois que sabem o que você é e a forma que você fala na mesa? Perdi muitos contrat...

- Foda-se você e seus contratos Joe. Enfie todo o seu dinheiro bem no meio do seu rabo. Você nunca deu importância a sua família. Sempre é negócios, negócios, negócios. Sabe de uma coisa? Eu preferia ter me casado com um homem pobre, do que com um rico mimado e idiota que só pensa em crescer sendo uma pessoa que na verdade nunca foi. - Demi agradeceu mentalmente por já terem chegado em casa. Ela nem esperou Joe estacionar o carro direito e já fora saindo deixando ele falando sozinho, ou gritando sozinho.

- Demetria!!! - Joe nem guardou o carro na garagem e muito menos o trancou ele saiu correndo atrás da esposa depois de perceber que o que ele falara não era verdade. Ele só falara aquilo porque estava com raiva, ele se importava muito mais com a família do que com os negócios, mas ele precisava manter o restaurante meio que para provar para o pai que ele podia crescer na vida sendo um gastrônomo.

- Vá para o inferno Joseph! Me deixe em paz! - Demi subiu as escadas correndo quando percebeu que Joe corria atrás dela. Mesmo meio tonta, ela correu e agradeceu por estar usando sandálias confortáveis. Mas isso não a impedia de se sentir sufocada por conta de estar grávida e pela pequena corrida que dera.

- Demi, me desculpa, eu não queria falar aquilo... - Joe pediu calmo enquanto a fazia parar de andar e olhar para ele. Mesmo com a insistência da esposa em tentar se livrar da mão dele que a segurava pelo braço, Joe a apertava mais forte, mas ainda com cuidado para não a machucar.

- Me larga Joe!! ME SOLTA SEU IDIOTA! - Demi gritou e Joe a segurou pelos dois braços impedindo dela continuar o batendo.

David ouviu o barulho do quarto dele e achou estranho. Ele ouvira os passos na escada mas achara que era apenas os pais chegando do jantar, e estavam brincando como eles sempre faziam até chegarem ao quarto deles. Mas dessa vez, ele sentiu medo quando ouviu a mãe gritar com o pai, mas o instinto de segurança e de proteção com a mãe falou mais alto e ele saíra pronto para bater no pai se possível.

- O que você pensa que está fazendo? Largue a mamãe. - Dav falou firme e com uma voz grossa. O menino olhava para o pai com raiva enquanto seguia até eles para fazer o pai soltar a mãe. - Pense mais uma vez em machucar a minha mãe e eu quebro a sua cara!

- Eu exijo RESPEITO David! Sou seu pai, e você ainda é um adolescente e isso não lhe impede de receber uns tapas meus. - Joe largou a esposa enquanto ela passava a mão pelo lugar que Joe apertara. - Desculpa Dem, eu estava com raiva, de cabeça quente, eu não queria falar aquilo para você. E muto menos te machucar.

- Eu não quero conversar sobre isso agora Joe... por favor. E você não me machucou. - Demi abraçou o filho tentando conter as lágrimas que insistiam em querer descer. Joe não a machucara fisicamente mas aquelas palavras dele a quebrara muito por dentro. - Dav, por favor, peça desculpas ao seu pai. Ele não estava me machucando... ele me segurou assim porque nós estávamos tendo uma pequena discussão.

- Mas mãe...

- Mas nada... eu sei que você só quer me proteger, mas eu te criei... eu e o seu pai te criamos em primeiro lugar para que você tenha respeito com as pessoas. E você dessa vez faltou o respeito com o seu pai, por mais que você só queira me proteger, e eu amo esse seu lado protetor... mas eu sou tão errada nessa briga tanto quanto ele. - Demi admitiu que estava errada, já era o primeiro passo. Joe continuava olhando para os dois se sentindo muito triste.

- Desculpa pai... eu não quis dizer de verdade que eu iria quebrar a sua cara. Eu só fico com muita raiva quando eu vejo a mamãe triste e meu instinto protetor fala mais alto.

- Eu entendo Dav... - Joe olhou preocupado para a esposa que parecia se apoiar no filho fazendo um esforço para não cair. Para a sorte dela, Joe correu até ela no mesmo instante que a mesma fora contra o chão. Ela havia desmaiado.

- Mamãe? Ai meu Deus! Papai, ela desmaiou... - Dav começara a se preocupar e se desesperar enquanto via a mãe desacordada em seus braços. Demi estava pálida.

- Filho, precisamos levá-la para o hospital agora!!! ela está sangrando... - Joe carregou Demi no colo e desceu as escadas correndo com o filho vindo logo atrás. Joe estava tão pálido quanto Demi. Ele tinha certeza de que algo não estava bem com o filho deles. Demi estava sangrando, havia desmaiado e parecia ter sido queda de pressão, e esses sinais durante a gravidez não eram bons.

- Será que foi porque ela se estressou? Pai, a mamãe vai ficar bem? O meu irmãozinho vai ficar bem? - David estava se segurando para não chorar, ele estava tão preocupado que não conseguia parar de tremer, mas mesmo assim ajudara o pai a colocar a mãe dentro do carro.

[…]

Aquele barulho de eco dos passos dos médicos e dos parentes de pacientes estava deixando Joe mais nervoso. Já havia quatro horas desde que ele chegara com o filho trazendo a esposa ainda desacordada nos braços e entregara para o médico de emergência. E nessas quatro horas ele não recebera nenhuma noticia de sua esposa. Ou de seu bebê.

David estava sentado ao lado do pai olhando fixamente para a porta que levava para a emergência com a esperança de que logo apareceria um médico lhos dando uma noticia boa, de que finalmente a mãe dele poderia ir para casa e só voltar ao hospital quando fosse ter o seu irmão/irmã. Mas não acontecia e ele já não estava mais aguentando aquele medo, aquela insegurança de que a sua mãe e seu irmãozinho poderia não sobreviver. A gargante sufocava e as altas respirações profundas que ele dava ecoava pelo corredor do hospital.

Joe já estava ficando também sufocado com a espera. Será que eles não tinham a mínima consideração pela família de um paciente? Eles poderiam muito bem pelo menos dizer que ela iria fazer uma cirurgia, ou que ela só precisava tomar um soro, ou que ela precisava apenas ficar de repouso, mas tudo o que eles fizeram para amenizar aquelas quatro horas de sufoco fora: nada. Joe levantou da banco que estava sentando e já ia até a recepção reclamar do atraso e clamar por noticias de sua esposa quando vira a sua cunhada passar por ele.

- Sel, pelo amor de Deus, eu preciso de sua ajuda! - Joe segurou Selena pelos braços e a coitada não entendia o porque de Joe estar tão apreensivo.

- O que aconteceu Joe? Porque está no hospital? - Selena até agora só havia percebido o cunhado no corredor, mas logo vira o seu afilhado sentado olhando para o nada e logo percebeu que houvera algo com a amiga/irmã. - Ai meu Deus! Aconteceu algo com a Demi? Cadê ela?

- É isso que eu estou tentando saber, eu preciso saber como ela está Sel. Eles a levaram para a sala de emergência há quatro horas e ainda não nos deram noticias. Sel, eu preciso saber se nosso bebê está bem. Eu nunca me perdoaria se acontecesse algo com eles dois. - Selena abraçou Joe assim que o pobre homem desabou em lágrimas. Ele se sentia tão culpado por ter brigado com Demetria.

- Calma Joe... eu vou procurar saber como ela está. Fica calmo, bebe uma água, eu vou depois comprar algo para você e para o Dav comerem. Ok? Não pensa em besteiras. - Joe assentiu e desfez o abraço com a cunhada que logo fora abraçar e falar com o filho dele.

Selena saiu à procura de noticias e em menos de trinta minutos ela voltara com uma feição nada boa. Joe levantou com os olhos arregalados, ele já previa que não estava tudo bem.

- Olha, eu não queria contar isso, deveria ser o médico responsável pela minha irmã. Mas, eu não poderia deixar vocês esperando mais umas duas ou cinco horas... - Selena respirou fundo e sentou entre David e Joseph que a olhavam esperando alguma noticia. - A Demi está em estado estável, ela não corre risco de vida... mas...

- Ah não. Sempre tem um mas... E a nossa bebê, Sel? Ela está bem?

- A Demi teve um sangramento muito forte, o que causou um problema no útero. O que a levou a um parto prematuro de urgência. Bom, tudo o que eu posso lhe dizer agora Joe é que, a sua menina precisa de muitos cuidados para que sobreviva. Mesmo ela tendo nascido com um peso de um bebê de trinta semanas, ela ainda é um bebê prematuro de alto risco de apenas vinte e seis semanas.

- Ela vai morrer? Minha princesinha vai morrer? - Selena abraçou Joe de lado e deixou que ele deitasse em seu colo. Ela queria poder tirar todo o sofrimento que aquele homem deveria estar sentindo.

- Bom, ela tem chances de setenta e cinco a oitenta e cinco por cento de sobreviver sem sequelas e crescer saudável como qualquer bebê que nasça em seu tempo normal. - Selena era pediatra e sabia muito bem do que estava falando, não precisou nem o obstetra falar o caso da sobrinha que Selena logo já identificara. E não era muito bom. - Vamos ter que ter esperanças. A Demi ainda está sedada, mas logo ela acorda. Eles tiveram que fazer um parto cesário ás pressas, e foi meio complicado.

- Eu vou tomar uma água tia Sel... eu só preciso de um tempo para poder digerir que isso realmente está acontecendo. - David se levantou antes mesmo que seu pai ou a sua madrinha percebesse que ele estava chorando. O menino só pensava em quanto esperou para finalmente ver a irmã e agora ela tinha risco de morrer. Tudo bem que as chances que ela tinha de sobreviver era maior, mas a dor ainda continuava o machucando.

- Joe... você quer ver a sua filha? Eu posso conseguir com que você a veja. - Selena olhou com pena para Joe. Ele estava com os cabelos totalmente bagunçados, e com os olhos vermelhos de tanto chorar.

- Eu não sei se eu consigo... se ela morrer Sel? A Demi vai me culpar por toda a minha vida, e eu também, porque minha filha poderia nascer saudável, sem problemas se eu tivesse defendido e escutado a minha esposa. A amado mais ao invés dos negócios.

- Olha Joe, eu sei que você é um idiota sim porque a Demi me conta tudo o que ela esta sentindo em relação à você. Só que agora não é hora de se lamentar. Pelo amor de Deus. A sua filha, você precisa vê-la. Você esperou tanto pela sua menininha Joseph, vai abandoná-la logo agora que ela precisa do pai dela? - Selena não aguentava ver Joe chorar daquele jeito. Por mais idiota que Joe fosse com Demetria ás vezes, ele sempre fora um melhor amigo para Selena e vice-versa.

- Desculpa Sel... eu não posso...

- JOE! - Selena gritou mas já era sem sucesso. Joe havia corrido até a entrada do hospital. Ela entendia o porque dele não querer ver a filha, ele já estava se sentindo culpado pelo o que ocorrera com ela, e se visse como a menininha estava na encubadora não seria legal para a mente dele.

------
 
Olá! Olha, eu vou explicar rápido para vcs o porque de eu ter fechado o blog... como alguns de vcs sabem, muitas pessoas que não tem o que fazer da vida desde quando eu comecei com o blog ficaram me mandando comentários ridículos por eu estar demorando para postar, eu cansei de explicar o porque, mas parece que essas pessoas gostam de criticar outras, enfim, para evitar que isso me aborreça ainda mais e eu acabasse desistindo de postar eu preferi fechar o blog. eu sei que para vcs deve ter sido ruim já que tem que ficar logado em suas contas para poder ler o blog, mas foi a minha forma de dizer "chega".
Sejam bem vindos ao novo blog não é mesmo? <3
 
Eu já escrevi metade do próximo capitulo e quero postar amanhã mesmo, e já aviso que a fic vai sair dessa coisa que era meio comédia e ficará uma coisa mais séria, mais dramática, mas não se preocupe, o Joe e a Demi não vão se separar, tá? Beijooos <3
 
"If you know how to be my lover
Maybe you can be my baby
Hold me close under the covers
Kiss me boy and drive me crazy"
 
 


10 comentários:

  1. Ta perfeitoooo, serio amei demais, emocionada que o bebe nasceu prematuro, adoro historias como essa que o bebe nasce cedo e fica bem awnnnn posta logo

    ResponderExcluir
  2. Mari tu ta afim de me matar neh. Nossa to morrendo aki. Essa nenem a lucy tem q sobreviver. Correto. Bjs posta quando der :D:D:D

    ResponderExcluir
  3. Mari, você está me matando com esse capítulo, eu to chorando aqui, sério! Posta logo que eu quero esse bebê bem logo, e coloca o nome da bebê de Lucy <3

    ResponderExcluir
  4. Mari! Eu to jogada, sério! Amei, Joe ta merecendo uns tapas viu? Q idiota, gnt, cmo pode? Joe foi um bestão, devia ter defendido.
    Demi jogou o suquinho, mas se fosse cmg eu esfolava a cara da criança no asfalto! Q desrespeito, eoein
    A bbê nasceu sjdjdkd scrrr <33
    To ansiosa p ver dps q ela for p casa szsz
    Dav irmao mais velho, nhonho ♡
    Amei msm, Mari!
    Posta logo!
    Bjs no core ♥

    ResponderExcluir
  5. Obrigada por ter me posto
    Ótimo capítulo tô ansiosa
    Posta mais.....

    ResponderExcluir
  6. Poxa cara, que chato essa parada da implicância do povo com a profissão da Demi, nada a ver aquele filho duma puta falar aquelas merdas para a Demi, o Joe deveria ter o quebrado no meio, mas ele abriu a boca só para falar besteira, ele deveria tanto ter dado importância a Demi e a pequenina :(
    Tomara que nada de mal aconteça a ela, ela tem que sobreviver! Beijos e posta quando der!

    ResponderExcluir
  7. Só a gr q consegui comentar! rsrs
    To amando essa fic é cada capitulo mais perfeito q o outro!
    Parabéns Mari vc é uma ótima escritora!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Deixem um comentário e deixem uma "escritora" feliz :D